Diário de uma tese escrita em 30 dias #10

E ao décimo dia, ela iniciou a análise dos artigos de opinião.

Não escrevi as biografias porque para isso terei que pôr o focinho fora de casa e hoje, com o belo do tempo que se adivinhava pela manhã, não foi o dia. Amanhã será, sem dúvida. Até porque os dias são sempre mais produtivos quando trabalho em ambiente de trabalho.

Mas iniciei a análise dos "Visto" e fiz uma tabela toda supimpa no Excel para me ajudar a anotar alguns dos pormenores da análise.

No meio disto tudo eu (que sou uma gaja que pensa muito até a dormir) sonhei que estava com uma professora (não a minha, mas uma) que não sei quem era mas sei que era professora e estava a contar-lhe a situação em que me encontro, sem poder contar com orientação, e eis que ela me diz qualquer coisa que eu achei muito importante e anotei avidamente no papel. Depois acordei. E não me lembrava o que era. Mas sei que era bom! E aquilo deve ter sido produto do meu cérebro pensador que nem à noite me dá descanso! E logo agora que isso me podia valer de alguma coisa PELA PRIMEIRA VEZ NA VIDA eu não me lembro o que era.

Fiquei mesmo chateada. Para não dizer outra coisa.

CO-RAGEM! Que amanhã é outro dia. 

De foto deixo-vos o Pedro Passos Coelho a rir-se no debate de hoje à noite com o Costa.


Catarina Vilas Boas



You may also like

Sem comentários :

Digam-me de vossa justiça, revolucionários, obstinados, rebeldes e insurrectos.

Com tecnologia do Blogger.